7 de mai de 2009

Aos que se fazem com a desgraça alheia

Para quem esqueceu, as eleições presidenciais e das prefeituras vem aí. E tem um pessoal que achou ma-ra-vi-lho-sa essa enchente em Teresina. Preciso dizer quem são? Estão todos muuuuuuuuuito bonzinhos, solidários, ajudando, "nadando" pelas ruas, tudo muito bonitinho.

Nas secretarias municipais e estaduais, funcionários fantasmas reviveram - olhe só que incrível - e estavam todos muuuuuuuuuito solidários aos enfermos da fúria da natureza.

A imprensa falada, escrita, berrada, copiada...enfim, a massa estava lá, documentando, informando - como eles gostam de dizer.

Revolta-me esta pseudo-solidariedade toda, é simplesmente nojento. Mais ainda, é revoltante a briga pelo poder, transmitida em todo território piauiense, assim, como quem espetaculariza feliz a própria decadência.

É papel da imprensa denunciar e lembrar ao povo de que essa hipocrisia toda já era. Mas a imprensa aqui, neste fim de Brasil, é o próprio alicerce da corrupção.

Se o segredo da felicidade é ter uma memória fraca e boa saúde, vos asseguro, Ó, meus amiguinhos, que sua humilde narradora está prestes a falecer.

Lembremos todos nós destes fantasmas que só apareceram agora, para se promoverem com a desgraça alheia, e NÃO VOTEMOS neles! E mais: contestem o que é dito pela imprensa local. Nem tudo é o que parece, ou melhor, o que aparece ao ser.

Um comentário: