23 de out de 2009

O fenômeno revoltante Dada Coelho

Saiu num certo site jornalístico de credibilidade duvidosa - e qual não é? - sob o título O Piauí merece respeito escrito por um senhor chamado Toni Rodrigues. Existem outros manifestos de revolta, como este de um site de Oeiras. Mas vamos ao mais cômico:

Não basta convivermos com a incompetência do governo, com a tirania dos partidos políticos e com a preguição e falta de visão do empresariado.

Temos agora que conviver também com o deboche, que imaginava-se ser coisa do passado.

Na madrugada de hoje, a humorista piauiense Dadá Coelho, natural de Floriano e que reside no Maranhão há vários anos, foi entrevistada no "Programa do Jô", da Rede Globo.

Ela disse, entre outras coisas, que no Piauí ou se é servidor público, funcionário do Armazém Paraíba ou então as mulheres engravidam para se sentirem valorizadas.

Declarou: "Se uma criança chega aos oito anos com dente é premiada." Dadá foi infeliz em suas declarações porque determinados problemas não acontecem apenas no Piauí e essa questão do desemprego afeta todo o país -- alguns estados em maior ou menor quantidade.

Na verdade, falta respeito ao estado. Nisso, culpo os governantes que poderiam ser embaixadores da decência ao invés de falsos propagandistas.

Dadá Coelho é uma vítima do desconhecimento sobre o Piauí, onde existem potencialidades. São muitas e poderiam ser utilizadas para melhorar nossas condições de vida.

Infelizmente, vivemos num estado rico de população empobrecida.

Carecemos de melhoria? Sim, em vários setores, mas não é por causa disso que vamos admitir o deboche.

Se fosse assim, poderíamos criticar a falta de senso do ridículo da comediante florianense porque ela saiu do segundo estado mais pobre para viver no efetivamente MAIS pobre da Federação -- que é o Maranhão; nem por isso os maranhenses devem ser defenestrados.

Defenestre-se aqueles que o gerenciam com olhos voltados para o lucro pessoal e ignorando completamente a necessidade de se investir na coletividade.

Lamenta-se que atitudes como a de Dadá Coelho, claramente inspiradas na incompetência dos nossos governos, na tirania dos partidos políticos aqui existentes e na cegueira dos nossos empresários, terminem se transformando em realidade para muitos que não conhecem a realidade em que vivemos -- e a disposição para o trabalho da grande maioria dos piauienses.

Como sempre, vou postar o mais interessante, que são os comentários:

3-10-2009 às 10:33:27
De: Welson  (IP - 200.198.194.114)
Palhaçada!

Dadá Coelho.... tão desconhecida que errei o nome!

23-10-2009 às 10:31:09
De: welson  (IP - 200.198.194.114)
Humorista ridícula!

Talvez seja por isso que ninguém conhece essa tal Dalva Coelho...

23-10-2009 às 10:21:05
De: Erick Muniz  (IP - 201.57.163.44)
Imbecilidade

Essa moça merece total menosprezo por nós piauiense justamente por se dizer piauiense. É vergonhoso alguém viver da criatividade e não ter criatividade suficiente para fazer humor sem menosprezar alguma coisa, ainda mais o próprio berço. Mas quem cos

Pois bem. Não sei qual tipo de irracionalidade mórbida move as pessoas para tal discussão inútil. Todos falam mal do Piauí e de qualquer outro lugar. Falam mal de si mesmos. Tudo em prol da arte do humor. Mas esse não é o ponto que eu quero enfatizar.

A verdade é que estamos sim num lugar esquecido, cheio de hipocrisia e dominado por um grupinho de famílias que ajuda a manter a mente pequena de um povo ignorante e sem perspectiva de futuro. Eu acho que essa tal de Dada foi até muito soft com os comentários dela e dou a ela total apoio ideológico.

E os  idiotas daqui deveriam criar vergonha na cara e se revoltar também, no intuito de trazer alguma mudança positiva. Mas ao invés disso ficam revoltados com alguns poucos que tem bom senso.

O comentário mais ou menos foi o do tal de Erick Muniz, quando ele fala que é "vergonhoso alguém viver da criatividade e não ter criatividade suficiente para fazer humor sem menosprezar alguma coisa, ainda mais o próprio berço."

E os milhares que vivem sem criatividade, que respeitam o "berço" e as tradições e os deuses? Onde estão? Passando fome e humilhação.

Já que temos potencialidades, porque a nossa desgraça vende mais que nossa virtude? Será porque não temos a tal virtude? Será culpa do governo? É culpa do Claudino? De algum Tajra? Não. É culpa sua mesmo, piauiense.

Continua...

10 de out de 2009

"Politico exige importação de gênios para Berlim"

Saiu no Portão de Brandemburgo, blog da jornalista Graça Magalhães, correpondente do Jornal O Globo em Berlim.

Depois de constatar que os berlinenses não são, em média, muito inteligentes, o ex-secretário da fazenda de Berlim, Thilo Sarrazin, apelou para a "importação" de "cérebros" para a capital alemã. Sarrazin, de 64 anos, que hoje faz parte da presidência do Banco Central Alemão (Bundesbank), causou polêmica no pais ao afirmar, no seu estilo bastante direto, que Berlim precisa passar por um processo como ocorreu com Nova York nos anos 50, pois os berlinenses que hoje vivem na cidade -- a elite, sobretudo judia, foi banida durante a ditadura nazista -- não seriam inteligentes o bastante para devolver o brilho que Berlim já teve nos anos 20 do século passado.

Em uma análise publicada na revista "Lettre International", ele afirma ainda que a situação berlinense poderá piorar no futuro, pois "40% dos nascimentos ocorrem nas familias de classe baixa". Por trás da declaração altamente discriminante, está também a decepção do politico que tentou salvar as finanças da cidade durante mais de seis anos, sem conseguir,  por causa do alto número de habitantes da que vivem às custas do governo (ajuda social).
 
Na mesma análise, em forma de entrevista, Sarrazin exigiu que a cidade passasse a selecionar seus imigrantes de acordo com a inteligência. Os judeus do leste europeu teriam, segundo ele, um QI quinze por cento mais alto do que a média dos berlinenses.
  
Enquanto Sarrazin reclama da mediocridade intelectual dos alemães étnicos da cidade, em Prenzlauer Berg, bairro da antiga Berlim Oriental, a ira é dirigida aos migrantes de regiões ricas da Alemanha e da Europa. Nesse bairro, onde antigamente vivia a boemia da Alemanha comunista, houve um processo quase completo de gentrificação (troca da população). Quase toda noite, o protesto dos alternativos e habitantes antigos explode no incêndio de carros. Quanto mais cara é a "carroça", maior é o risco de terminar nas chamas causadas pelos manifestantes.

Vamos aos comentários:

Apelido: Rizombi - Email - 8/10/2009 - 14:41
A Palavra corrupcao nesse pais e TABU !! Pode reparar em todas as afirmacoes voce so ouve o seguinte : "Despreparo , Falta de competencia , Manejamento errado, Amadorismo "etc... Corrupcao ?! Nunca ! Na historia da Alemanha isso e uma ferida ainda muito aberta !! Dai , vamos jogar o Olofote nos mais fracos. Desempregado ?! "Vagabundo "!! Pitti Bull , cachorro de genetica Ruim e ma !! Cade o dono ?! UE... So morde estrangeiro e Mendigo etc... Quem e o culpado ?! O dono que e alemao ?! Nunca ! E sempre a mesma coisa desde sei la quando !! Arrebenta sempre pro "mais Fraco"!! Qui fazer ?! Bem , eu tenho que aguentar mesmo !! Corrupcao ?! "Nao to entendendo , o que qui e isso heim "?!"Prefiro dizer que tambem nao sei o que qui e isso bicho "!! Ou melhor ,culpado e"O Turco"!!


Apelido: Rizombi - Email - 8/10/2009 - 4:38
Voce pode fazer uma Critica sem criar um" TOM "de preconceito. Eles vendem Laranjas sim e sao Mercado de Bilhoes de Euros e EMPREGOS !! Mas aqui quem realmente Rouba Bilhoes das caixas do Governo nao sao Dependendes Sociais mas Politicos Corrutos. Quem usa esses argumentos , mesmo que parcialmente corretos , provoce em mim grande desconfianca , principalmente com um sistema de ensino como o que temos aqui. Integracao custa Bilhoes e o ensino na alemanha faliu.


Apelido: coisapreta - 8/10/2009 - 4:01
Na verdade o que causou essa polemica toda foi o fato de o Sr. Sarrazin ter tornada publica a sua opiniao de que os imigrantes turcos e arabes nao se integram, vivem em boa parte aos custos do governo e formam uma sociedade paralela. Ele nao mentiu nem inventou essa historia. O Sr. Sarrazin apesar de ser filiado ao SPD nao eh politico ativo, porem banqueiro por profissao. Acho interessante que um pais onde a liberdade de expressao eh garantida na constutuicao radicalize tanto quando se faz criticas a imigrantes (especialmente mulcumanos).

Eu sabia que em 1° de maio. bem como 3 de outubro (dia da unificacao da Alemanha) acontecem protesos nada pacificos) dos autonomos, mas que toda noite carros sao queimados e pessoas randaliam... !?!? Creio que foi um pouco de exagero, afinal Berlin nao eh Paris!
Rizombi: concordo sim com o Sr. Sarrazin em muitos pontos, pois eu me esforcei para aprender o idioma, conhecer e respeitar as leis desse pais, nao desrespeitar os costumes. Sociedade paralela, pfui!!

Apelido:
Rizombi - Email - 6/10/2009 - 15:52
O politico nazi e estupido esse !! Sorry ! Que horror !! Esse ou aquele 15% mais inteligente etc... Horror ! Acabe com a Selecao nas escolas e crie um politica que promova a inteligencia e nao a BURRICE !! Sorry ! "Qui horror de discurso besta "!

Acho que a discussão tem outras intenções. Eu comentei:

"Concordo com coisapreta. Alguma comunidades de imigrantes não fazem questão de se integrar na sociedade alemã e ainda se fazem de vítima. Como é que vou pra casa alheia, reclamo da falta de TV no quarto de hóspedes e ainda dou uns bofetes no anfitrião? É mais ou menos assim que tem funcionado as coisas aqui na Alemanha [como se eu tivesse lá hahahahaha Mas em mente, estou]. Mas acho que a "importação de cérebros" é inviável porque uma das maiores justificativas utilizadas pelas empresas é a de que há pessoas superqualificadas, as quais a empresa não pode pagar pelo serviço por causa do "excesso de qualificação". Acho que toda opinião desse naipe agora é pura tentativa de gerar segregação social - usando o argumento da etnia - mas o que poucos percebem é que tal segregação já existe há tempos e depende de atudes de ambas as partes para se resolver. Enquanto isso, os ignorantes do mundo todo se voltam contra a Alemanha trazendo à tona preconceitos que nem existem mais, sem ao menos saber do que se trata o caso. É muito triste."


Pessoal, sejamos racionais. A política de segregação "racial" ainda hoje é adotada não somente na Alemanha, mas até nos países politicamente corretos - pelo menos é o que passa na propaganda - como o Brasil. Então, antes de levantar a voz contra Alemanha, país demasiadamente acolhedor, vamos prestar atenção no contexto.

4 de out de 2009

Bierlexikon: mini glossário das cervejas alemãs

Relendo aqui o livro do curso de alemão - o Themen Aktuell 1, da Hueber - eu achei um texto falando de algumas cervejas alemãs e sobre os tipos de copos que devem ser usados na sua degustação. É, cada cerveja tem seu próprio tipo de copo. Ainda não entendo por que, afinal, tudo é cerveja. Mas os alemães garantem que faz toda diferença. Como está chegando o Oktoberfest, acho bem conveniente traduzir aqui pra vocês.

O texto diz que, por ano, cada alemão bebe em média 150 litros de cerveja. Uma quantidade relativamente baixa para a terra da cerveja. Dizem que eles gostam mais de café - 190 litros cada pessoa, por ano - e refrescos com água - cerca de 160 litros. Mas não vou questionar a fama alheia hoje.

Então, a primeira cerveja aqui é a minha favorita, a Altbier que, como o próprio nome já sugere, é uma cerveja mais envelhecida. Ela é escura e tem gosto meio amargo e é mais apreciada em Düsseldorf. Uma Altbier deve ser apreciada num copo reto, que nem os de whisky, só que mais comprido. Como exemplo, o livro traz a Schlosser Alt.

A próxima é a Berliner Wieße, que às vezes é misturada com framboesa ou suco de Waldmeister (quando souber o que é, eu vos digo). É uma cerveja meio avermelhada ou então esverdeada. É uma cerveja leve de gosto bem adocicado. O copo dela é na verdade uma taça meio gordinha, mas grande. A cerveja do exemplo é a Schultheiss Original Berliner Weiss.

A Bockbier é uma cerveja forte, com 5,6% de teor alcóolico. As cervejas normais tem cerca de 4,7%. Muitas tem gosot levemente adocicado. O copo dela me lembra um pouco um caixão de defunto, mais largo em cima e estrito em baixo, com as bordas levemente voltadas para dentro. A cerveja mostrada pelo livro é uma tal de Lowenbräu.

A cerveja Export é clara e tem gosto bem leve. É a cerveja que se encontra em praticamente qualquer lugar da Alemanha e certamente deve ser a mais difundida mundialmente, daí o nome Export. O copo é bem parecido com aqueles de requeijão, só que maiores.

A Köhlsch é mais degustada na região de Colônia, seu lugar de origem. Assim como a Export, é clara e leve (somente 3,7% de teor alcóolico). O copo é parecido com o da Altbier, mas é mais magro e mais alto.


A Münchener é a mais amada na região da Baviera - também, tudo que eles fazem , segundo eles próprios, "é o mais bem feito da Alemanha". Tem um gosto parecido com o da Export, mas não é tão forte. O copo desta cerveja é o mais simpático de todos. Comporta de 1/2 Litro a 1 Litro e tem um formato parecido com o da Bockbier, só que com aquela alsa, tipo uma caneca gigante.

O tipo Pils vem da República Checa, mas os alemães adoram e é também do tipo pedido em toda parte. O copo típico é em forma de taça, com o fundo quadrado e uma leve curvatura para dentro.


E a última, mas não menos saborosa, é a Weizenbier ou Weißbier. É uma cerveja clara originária da Baviera, mas produzida com sucesso tamém nas demais regiões da Alemanha - hoje em dia, todas são produzidas com sucesso em toda Alemanha. O copo é enorme e  parece um peixe.

Você encontra mais informações neste site.

Então, era isso. Não considero um post útil, mas é bem informativo! Vou tentar postar umas fotos e opiniões sobre mais tipos de cerveja quando eu for por lá de novo.