27 de mai de 2012

O mercado das pulgas

Por mais preconceituoso que o nome possa parecer, a ideia dos "Mercados das Pulgas" aqui na Finlândia é bastante democrática e amplamente aceita em todos os segmentos da sociedade.  


Conhecidos em outros países como Flea Market, Second-Hand Shop, Bazar ou Brechó, são centros de venda de coisas usadas, semi-usadas, quase-nunca-usadas, semi-novas e, de vez em quando, até novas. 

Aqui o nome Kirpputori (kirppu= pulga; tori=mercado) não é, como no Brasil, sinônimo de "de qual defunto isso veio mesmo?" ou "vendemos lixo". Nem tampouco sinônimo de "coisas velhas de madame, vendidas por 18x mais caras que o preço original". Os Kipputori são também conhecidos como centro de reciclagem, pois além revender roupas e demais objetos usados reaproveitam materiais que antes seriam descartados (garrafas plásticas, sacolas, embalagens de café, retalhos de tecidos, etc.)

São lugares onde se encontra de tudo. Quando digo tudo, me refiro a tudo mesmo! Roupas, calçados, chocolate, coleira pro cachorro, chicotes e algemas (pros que essa vertente de "atividade a dois"), livros,  utensílios domésticos, eletro-eletrônicos, portas, janelas, sofás e por aí vai. A vantagem? Os preços. Peças que originalmente saíram por 40€ lá estão a 0,20€, 1€, 4€ e, se for algo muito raro e antigo, pode chegar a até 120€. Mas não acho que lustres de cristais estão mais em alta.

Chicotadas em oferta: só 1€!
Com as peças do mercado é possível mobiliar uma casa inteira com menos de 200€ e ainda enfrufruzar o lar com as mais variadas peças de decoração.

E se você não encontrar o que precisa (o que é raro; na maioria das vezes você encontra e compra até o que não precisa), basta andar alguns blocos e entrar no próximo Kirpputori. Só aqui na cidade de Jyväskylä (Finlândia Central) tive a oportunidade de conhecer seis mercados, dentre os quais existem três dos quais me tornei cliente cativa.

Copos iittala: não retire a etiqueta, se não perde a realeza. 

Mas como foi dito anteriormente, o mais interessante do Kirpputori é o fato de que todos os tipos de pessoa o frequentam. Engana-se quem pensou que é um lugar pra mulheres, vovós e imigrantes brasileiras sem muito capital financeiro pra torrar. Lá já vi de garotos metalhead, punks, e professores universitários até vovôs esportistas, papais de primeira viagem e estudantes secundarista. Posso até arriscar dizer que o número de clientes homens é igual ao número de cliente mulheres.

Só não ia sair por aí tirando fotos não autorizadas das pessoas, porque aqui algumas são meio hostis quanto a isso.
Além da variedade incrível de coisas, o Kirpputori não permanece o mesmo por mais de uma semana. Como são produtos muito baratos e como recebe muitas doações, o mercado está em constante renovação. Então, caso você goste ou realmente precise de alguma coisa, compre imediatamente ou nunca mais a veja!







Gostou? Então aproveite aqui a galeria completa com 106 fotos

2 comentários:

  1. Poxa, agora q eu tava curtindo os posts todos acabou!! vc já nao escreve mais :(

    ResponderExcluir
  2. Estava de férias forçadas! Mas estou de volta :)

    ResponderExcluir