15 de dez de 2011

Hevisaurus: Heavy Metal para crianças

Que o modelo de educação finlandês é um exemplo para o mundo, isso todos nós sabemos - ou estamos começando a saber. Também é notável a cultura do Heavy Metal no pequeno país, localizado no fim direito da Escandinávia. Mas até agora eu não tinha percebido o que um aspecto tem a ver com outro. Só sei de uma coisa: este mundo está salvo!
Herra Hevisaurus, é o tiranossauro-rex líder e vocalista da banda.

De 2009 até agora os Hevisaurus têm doutrinado as crianças finlandesas na cultura Heavy Metal. Pra quem, como eu, não sabia da existência da banda, posso resumir da seguinte maneira: imagine a Família Dinossauros tocando Metal à lá Nightwish ou Blind Guardian - pra citar exemplos famosos. 

Os bonecos são um tanto toscos, tão 80´s e 90´s quanto os da família do Baby, mas os pequenos finns parecem achar o máximo.

Milli Pilli, a Charlene tecladista - que tira uns vocais às vezes.
Com isso, as crianças aqui se interessam mais cedo por aprender a tocar instrumentos musicais e a compor, o que desencadeia uma série de hábitos saudáveis social e culturalmente falando. E não estou simplesmente puxando a sardinha pro meu lado. Quase todo os dias matérias como esta são publicadas, comprovando o que eu tenho dito.

Komppi Momppi, o baterista.

Acho que a coisa mais parecida que tivemos no Brasil - uma banda de rock com grande aceitação entre o público infanto-juvenil - foram os Mamonas Assassinas que, ainda assim, apelavam mais pra sexualidade do que qualquer outro tema.

Nada contra as Kelly Keys, Claudias Leitte e Mulheres-Fruta da vida (também nada a favor; que fique registrado), mas acho que nosso Brasil está precisando de influências que ensinem suas crianças algo além da mera função de procriar um dia - ou sair por ai praticando o "todo enfiado" irresponsavelmente.

Os Hevisauros trazem em suas letras temáticas não muito distantes das abordagens feitas em músicas de bandas de gente grande: viagens, mundos fantásticos, dragões e ainda, claro, dinossauros. Além disso, a linguagem narrativa dos video-clipes às vezes é de provocar inveja em muitas bandas de metal por aí (com direito a orlas marítimas e amplificadores Marshall).

Ou seja, nem tudo está perdido! E como diria o povo do Ensiferum, existe um place in the North, far, far away onde os pequenos prometem. E como prometem!

3 comentários: