26 de jun de 2008

Guerra do Fogo




Nome original: La Guerre du feu
Ano: 1981
Local: França e Canadá
Diretor: Jean-Jacques Annaud
Roteiro: J.H. Rosny Sr e Gérard Brach
Principais atores: Everett McGill (Naoh), Ron Perlman (Amoukar), Nicholas Kadi (Gaw), Rae Dawn Chong (Ika)


O filme “Guerra do Fogo” conta a história dos homens do período paleolítico em seus primeiros intentos tecno-evolutivos. Naoh, Amoukar e Gaw são homens que fazem parte de uma tribo de Homo sapiens neanderthalensis. Certo dia, seu grupo foi atacado por um outro grupo evolutivo rival, os Homo erectus, que forjou a emboscada com o objetivo de roubar o fogo da tribo dos homens de neanderthal. Com o massacre de sua tribo, os três fogem primeiramente para tentar buscar proteção, depois tomam como objetivo a recuperação do tesouro roubado. Abordando uma concepção sócio-histórica do homem – na qual os primeiros homens construíram suas relações sociais – o filme tem como principal tema essa disputa pelo fogo entre as primeiras comunidades tribais, embora não se limite a apresentar enfaticamente o assunto.


O fascínio pelas chamas era diretamente ligado à necessidade de sobrevivência de cada grupo, pois além de mantê-los aquecidos durante os períodos mais frios, serviam de defesa contra os outros animais e até preparo de alimentos. Atacando-se e defendendo-se com o uso de paus e pedras para evitar a perda do fogo, os homens mantinham-no dentro de uma espécie de gaiola, tentando sempre mantê-lo aceso.


A principal intenção do filme é mostrar a construção de formas culturais diferentes que, apesar de eclodirem relativamente no mesmo território e período histórico, distinguiram-se num vivo e intenso processo de evolução. As tribos rivais, por exemplo, eram distintas tanto nas questões de estrutura corporal – os Homo erectus eram mais similares aos primatas enquanto os Homo sapiens neanderthalenis tinham menos pêlos e já usavam vestimentas feitas com peles de animais – quanto nos padrões comportamentais. Apesar de terem em comum o nomadismo¹, uns eram menos violentos e mais defensivos (neanderthalensis) e outros mais ofensivos (erectus) e praticavam canibalismo.


Em relação a forma de comunicação, os personagens demonstravam suas idéias através de urros, gestos, gritos e comportamentos bastante semelhantes aos dos macacos. Com a vida em grupo, o trio aprende a trabalhar em equipe, até mesmo para garantir sua própria defesa. Eles se mantêm unidos por um longo caminho, até chegarem à um acampamento abandonado. Ali, Naoh e seus companheiros encontram uma mulher chamada Ika – que fora feita prisioneira pela tribo canibal – pertencente à uma terceira tribo evolutiva, os Homo sapiens sapiens.Ela passa a seguí-los e com ela Naoh teve relações sexuais similares ao acasalamento dos outros animais², principalmente em relação a posição adotada – a popularmente conhecida como “posição cachorrinho”. Ika os acompanha até certo ponto e, apesar de tentar persuadí-los a segui-la até sua tribo, não obtém sucesso.


A tribo da mulher já possuía um certo tipo de linguagem falada, bem como atividades motoras mais evoluídas, o que os propiciou habilidade suficiente para confecção de objetos bem como a construção de pequenas casas.


Em certo momento, o trio acaba se separando. Coincidentemente, Naoh cai em um terreno movediço e é resgatado pelos membros da tribo de Ika. Por ser considerado forte, com bons dentes e bom aparelho genital, Naoh é posto para acasalar com as demais mulheres da tribo, principalmente com as consideradas mais fortes. O objetivo era gerar descendentes mais resistentes, propiciando assim a perpetuação da espécie e uma melhoria genética, baseada no empirismo vivido por eles através da lei da natureza: a lei dos mais fortes.


Nesse momento do filme começam a surgir os primeiros indícios de sentimentalismo humano. Ika, ao ver Naoh com outras mulheres, demonstra algo semelhante a ciúmes, passando a observá-lo sempre que tinha uma chance. Além disso, ela desenvolve um afeto por ele, tanto que rejeitava as intenções de acasalamento com os outros machos e aceitava somente com Naoh.


Com o tempo de convivência na tribo de Ika, Naoh descobre que essa comunidade possuía o domínio do fogo, no que se refere ao controle e “fabricação” das chamas. O momento simboliza o florescer da razão humana e da tecnologia, a descoberta mais importante que marca os últimos tempos de uma era³ e o princípio de outra.


Recomendado para aulas bem chatas sobre Psicologia e Comunicação.


_________________________________________


¹Entenda-se por nomadismo a procura de locais mais seguros e com mais alimentos e não apenas uma escolha aleatória.

²A diferenciação entre as relações sexuais dos seres humanos em relação as dos outros animais se deu a partir do momento em que o homem passa a se relacionar não somente com o intento de reproduzir-se, mas também de ter prazer.

³A descoberta do fogo marcou a passagem do período Paleolítico para o Neolítico.

Um comentário:

  1. é muito interesante e as fotos são muito feias pois tambem fala sobre a importancia da caracteristica da minha amigo alexandre pois ele é muito feio igual aos homes da pré hstoria.
    ass:milena,jeynny e juliana
    Do ms
    da escola carlos vilhalva cristaldo
    serie:6°onoD

    ResponderExcluir